Polvo

OCTOPUS (Polvo)


Comum na costa portuguesa, com um corpo curto e flácido, pois, ao contrário de outras espécies mais ou menos semelhantes, não possui esqueleto rígido (concha interna, como a lula ou o choco). O corpo possui um manto largo, sem barbatanas, com oito tentáculos (braços) cinco a seis vezes maiores que o corpo - os tentáculos são cobertos de ventosas na superfície interna e tem a particularidade de conseguir mudar de cor para se confundir com o ambiente. Quando se sente ameaçado liberta um jacto de tinta (sepia) que se encontra armazenada na bolsa do ferrado e desloca-se deslizando pelo fundo ou por movimentação "a jacto"- expele a água através de um sifão. Terrível caçador, prefere viver em profundidades até aos 120 metros, embora possa ser encontrado a profundidades superiores. É um animal com uma visão muito apurada e com uma inteligência superior (comparável à do cão). Pode atingir um peso superior aos 15 quilos e é pescado com armadilhas, por arrasto, por mergulhadores ou com polveira de haste e ponta curva - no entanto também acontece virem agarrados ao anzol quando se pesca à cana ou à mão.


Em 30 de Novembro de 1896, na Florida, foi encontrada a carcaça de um polvo gigantesco. O animal fora atacado e parcialmente desmembrado antes de chegar à praia: o que restou foi suficiente para causar espanto devido ao seu tamanho : da ponta de um tentáculo à outra o corpo tinha 60 metros e pesava 5 toneladas. Foram feitas fotografias dos restos decompostos e mutilados, de que não se conhece hoje o paradeiro. No dia 24 de Junho de 2003, um polvo gigante, com 12,40 metros de comprimento e 13 toneladas de peso, apareceu e morreu numa praia do sul do Chile, Inicialmente o animal foi confundido com uma baleia moribunda, mas os cientistas confirmaram que se tratava de uma espécie de cefalópode do qual não existiam notícias desde 1896, quando um polvo similar foi encontrado na Flórida-EUA. (Fotografia Agence France-Presse).

error: Conteúdo protegido !!